Zélia Duncan e Beatriz Azevedo fazem show inédito em Ouro Preto e Mariana

14 de agosto de 2017 - 16:47 | por Sergio Sanches
Zélia Duncan e Beatriz Azevedo fazem show inédito em Ouro Preto e Mariana
Cultura
0

Apresentações gratuitas acontecem em 18 e 19 de agosto; show foi gravado originalmente no Lincoln Center, em Nova York

Ouro Preto e Mariana recebem, nos dias 18 e 19 de agosto, o encerramento dos projetos Roteiro das Minas e AntroPOPhagia, que, desde o início do ano, vêm debatendo o Manifesto Antropófago, de Oswald de Andrade, nas cidades barrocas, com uma série de ações multiculturais. O fechamento acontecerá com a apresentação do show antroPOPfagia, com participação de Beatriz Azevedo e Zélia Duncan. Elas se apresentam gratuitamente no dia 18 de agosto, às 21h, no Largo do Rosário, em Ouro Preto, e no dia 19 de agosto, no mesmo horário, na Praça Minas Gerais, em Mariana.

Originalmente gravado no Lincoln Center, em Nova York, o disco antropofagia traz composições musicais de Beatriz Azevedo em arranjos antropofágicos, devorando o jazz, a música brasileira, o afrobeat, o jongo, e diversos outros ritmos. Em Ouro Preto e Mariana serão apresentadas, ainda, músicas compostas em parceria pelas duas artistas e composições inéditas de Beatriz Azevedo.

A apresentação também terá um viés contestador. Durante o show, serão feitas projeções, abordando perspectivas históricas da antropofagia, referências sobre o contato dos portugueses com os índios e menção a temáticas atuais, como o compartilhamento digital e a defesa de uma filosofia do matriarcado.

A banda que acompanha as artistas é composta por Domenico Lancellotti na bateria (Gal Costa, Caetano Veloso, Gilberto Gil etc), Antonio Guerra nos teclados (Mart’nalia, Martinho da Vila etc),Marcos Campello na guitarra (Ava Rocha, Negro Leo etc) e Angelo Ursini nos sopros.

 

Os projetos Roteiro das Minas e AntroPOPhfagia têm patrocínio da Cemig, através da Lei estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais e apoio institucional das secretarias de Patrimônio, Cultura e Turismo de Ouro Preto e Mariana.

De acordo com o secretário de Cultura e Patrimônio de Ouro Preto, Zaqueu Astoni, “o Dia Nacional do Patrimônio Histórico, comemorado no dia 17 de agosto, é uma homenagem ao espírito incansável do historiador e jornalista mineiro Rodrigo Melo Franco de Andrade. O projeto Roteiro de Minas primou por estabelecer diversos encontros musicais, cênicos e poéticos ao longo do ano em Ouro Preto. Tal como o espírito que norteou os modernistas em Minas Gerais, a realização deste projeto foi crucial para a retomada e redescoberta da Casa Ópera, teatro mais antigo das Américas em funcionamento. No mês do patrimônio, o Projeto Roteiro de Minas vem presentar Ouro Preto, primeira cidade no Brasil declarada Patrimônio Cultural da humanidade, com mais uma importante atividade cultural para toda a população ouropretana”.

Para o secretário de Cultura e Turismo de Mariana, Efraim Rocha, o projeto AntroPOPhagia chega à Mariana num momento de muita relevância cultural. “Mariana busca resgatar (e está pelas últimas ações fazendo isto) a sua identidade como importante centro cultural de Minas Gerais, mostrando a sua vocação especial para as artes, aqui nascida no início do Século XVIII e sempre viva e atuante nas mais variadas manifestações. A iniciativa é uma oportunidade de os marianenses incorporarem ainda mais cultura ao seu viver. Nos seus 321 anos, Mariana agradece por ter sido incluída neste programa e espera que as expectativas se concretizem de maneira eficaz, tanto para os idealizadores da iniciativa quanto para a cidade”, afirma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *