Projeto Mini-atletismo: esporte, sustentabilidade e lazer na Educação

3 de maio de 2017 - 16:47 | por Sergio Sanches
Projeto Mini-atletismo: esporte, sustentabilidade e lazer na Educação
Itabirito
0

A Escola Municipal Guilherme Hallais França recebeu, entre os dias 26 e 27 de abril, o Projeto Mini Atletismo. A capacitação – promovida pelo Governo Federal, em parceria com a empresa Vale, Fundação Vale e o Instituto para o Desenvolvimento da Educação e Cultura (Idec) – visou promover cultura, esporte, lazer e sustentabilidade.

 

Capacitação e aplicação do Projeto

Dividida em duas partes, o projeto contou com capacitação teórica e aplicação das atividades com os alunos. O analista de Meio Ambiente da Vale, Gilson de Deus, explicou o processo. “No primeiro momento, há um mapeamento dos educadores físicos do município, a fim de promover uma capacitação teórica. A partir daí, os professores são divididos em grupos, nos quais elaboram com materiais recicláveis os objetos que farão parte do projeto e testam a sua logística. Os pontos positivos da iniciativa são a promoção da interação entre os alunos durante a atividade, entre a comunidade escolar que pode ajudar na captação de material reciclável e na implantação em outras escolas da cidade, uma vez que os docentes participantes são de instituições diversas”.

O professor de Educação Física das escolas Guilherme Hallais, Natália Donada Melilo e Cemi, Wanderson Carvalho, participou da capacitação e revelou sua satisfação. “Aliar o conhecimento teórico ao prático de maneira lúdica e prazerosa foi realmente muito gratificante para nós. Confeccionamos os materiais com muito carinho e comprovamos o sucesso do projeto por meio da satisfação dos alunos e equipes envolvidas”.

Esporte e Educação

Para a coordenadora de Projetos da Secretaria de Educação de Itabirito, Jaqueline Moura, “o projeto foi de extrema importância, pois promoveu a integração da rede municipal de educadores físicos. Escolhemos a Escola Guilherme Hallais França pelo número de alunos que iriam participar e também pelo espaço físico adequado para as práticas. A nossa intenção é trabalhar cada vez mais com projetos contínuos que envolvam os alunos e a comunidade docente e escolar”.

A Educadora física do Projeto, Nayara Carmo, revelou que “as atividades visam organizar um circuito que estimule capacidades físicas, como coordenação e velocidade. Além disso, buscamos unir a prática esportiva de qualidade à sustentabilidade”. Para a supervisora da Escola, Marcileia Fernandes Torres, estes estímulos são importantes em sala de aula. “Por meio das atividades, os professores puderam promover estímulos que são importantes no processo de alfabetização do aluno. Esse repertório ajuda e muito dentro da sala de aula”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *