Presidente da Samarco reúne-se com representantes de comunidades atingidas

29 de junho de 2016 - 23:19 | por Redação
Presidente da Samarco reúne-se com representantes de comunidades atingidas
Mariana
0

Representantes das comunidades de Mariana atingidas pelo desastre de Fundão se reuniram, no último sábado, dia 2, com a diretoria da Samarco para uma conversa sobre o andamento das ações de reconstrução das comunidades, além de um repasse geral sobre as diversas ações de reparação que já estão sendo realizadas pela empresa.
Participaram cerca de 20 moradores de Bento Rodrigues, Paracatu, Camargos, Campinas, Pedras e Ponte do Gama. Os principais temas tratados foram o processo de reassentamento, de recuperação ambiental e perspectiva de retorno das operações da empresa.
O grupo foi recebido na Unidade de Germano, em Mariana, pelo diretor-presidente da Samarco, Roberto Carvalho, pelo diretor de projetos e ecoeficiência Maury de Souza Jr., e por José Luiz Furquim, líder dos programas socioeconômicos da Samarco.
Reuniões com representantes da Samarco são realizadas regularmente, nas quais são discutidas todas as etapas do processo de reassentamento.
DIÁLOGO
O diálogo com as comunidades com relação aos trabalhos realizados para a recuperação das áreas impactadas pelo rompimento da barragem de Fundão é um pilar do acordo assinado pela empresa, acionistas e os governos federal, mineiro e capixaba.
O documento prevê a criação de uma Fundação de direito privado esponsável pela implantação de 41 programas (93% deles já estão em andamento),reunidos em duas principais frentes de trabalho, uma socioeconômica e outra socioambiental.
Empresa protocola estuda de Impacto Ambiental
Em mais uma etapa no processo de licenciamento visando a retomada de suas operações, a Samarco protocolou, no dia 23 de junho, na Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (SEMAD), o Estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto no Meio Ambiente (EIA/RIMA).
Tais estudos fazem parte do processo de licenciamento da empresa, necessário para a retomada parcial de suas operações. O processo foi iniciado no dia 24 de fevereiro, quando a empresa protocolou junto à SEMAD o primeiro documento (FCE – Formulário de Caracterização do Empreendimento).
A Empresa salienta que vem realizando periodicamente reuniões técnicas com a equipe do órgão ambiental sobre o processo de licenciamento para a retomada das operações, além de duas vistorias técnicas de campo realizadas pelo órgão ambiental.
A intenção da empresa é dispor o rejeito na cava confinada de Alegria Sul, localizada dentro da área de exploração mineral da Samarco, na qual o rejeito será depositado de forma confinada, sem contado com outras áreas de deposição de rejeitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *