Prefeito de Santa Bárbara incentiva comercialização do queijo do Entre Serras

11 de julho de 2017 - 08:42 | por Sergio Sanches
Prefeito de Santa Bárbara incentiva comercialização do queijo do Entre Serras
Agronegócio
0

O produto tem características de fabricação semelhante aos melhores queijos do mundo, os suíços e os franceses

O Queijo Minas Artesanal da Região ‘Entre Serras da Piedade ao Caraça’ foi apresentado publicamente numa solenidade que reuniu representantes do Santuário do Caraça, do Senac, da Emater, do Sebrae, do Instituto Mineiro de Agropecuária (Ima), bem como os produtores dessa Região, durante o 41º Torneio Leiteiro de Santa Bárbara.

De acordo com a consultora técnica do Senac em Minas Gerais, Vani Maria Fonseca Pedrosa, no Caraça há a bactéria propiônica, também utilizada no processo de fabricação de queijo na Suíça. Na ocasião, Vani, uma das responsáveis pela pesquisa histórica que comprovou a existência desse tipo de queijo na região, afirmou que temos no ‘Entre Serras’ características de produção semelhantes aos melhores queijos do mundo, os suíços e os franceses.

Os representantes das instituições presentes afirmaram em suas falas que foram dados passos importantes nesse processo de reconhecimento, com o trabalho de resgate que vem sendo feito. Eles também se disseram satisfeitos em poder atuar junto aos produtores, que foram parceiros e abraçaram a ideia.

Neste ínterim, o chefe do executivo fez um pronunciamento de valorização do trabalho dos produtores, colocando a Prefeitura de Santa Bárbara como um braço auxiliador nesse processo de reconhecimento.

O prefeito enalteceu a qualidade do produto, que, segundo ele, carrega um valor histórico, do turismo, da família, da preservação e do homem do campo. Leris falou, ainda, da necessidade de potencializar o desenvolvimento econômico e convocou os empresários a ofertarem o produto aqui em Santa Bárbara.

É importante lembrar, também, que o queijo curado, feito à base de leite cru, é reconhecido mundialmente como o melhor tipo de queijo para a saúde, por guardar as características dos microclimas regionais e fazer parte da cultura e do modo de vida de quem o produz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *