Núcleo de Apoio a Bandas e Orquestra

5 de agosto de 2017 - 20:40 | por Sergio Sanches
Núcleo de Apoio a Bandas e Orquestra
Música
0

Em parceria com a Vale, núcleo da Orquestra Ouro Preto realiza curso destinado a regentes, professores de música e instrumentistas de bandas centenárias.

Uma praça, um coreto, as sonoridades e dobrados das tradicionais bandas de música. Componentes que juntos fazem parte da memória afetiva de grande parte dos brasileiros. Em Minas Gerais, sobretudo no interior, essa paisagem sonora é regra, sinônimo de mineiridade e tradição, intimamente ligada à cultura e ao patrimônio imaterial do estado.

Apesar do apoio e incentivo público às bandas, o trabalho de fomento e preservação dessas associações musicais é árduo. Minas, por exemplo, possui centenas de bandas, algumas delas com mais de 150 anos de atividades ininterruptas. Esse apoio passa por várias especificações, da doação e restauração de instrumentos à recuperação de partituras. No entanto, tão importante quanto essas atividades, a manutenção e, consequentemente, a preservação das bandas passa pelo incentivo através de métodos de ensino, oficinas, palestras e cursos que visam à capacitação de maestros, professores de música e instrumentistas de todas as idades. Pensando nessa lacuna, a Orquestra Ouro Preto acaba de criar o núcleo de Apoio a Bandas e Orquestras.

O Núcleo tem por objetivo fomentar a capacitar regentes, professores e instrumentistas das tradicionais associações musicais de Minas Gerais e do Brasil. Consultorias, oficinas, palestras, atividades práticas e teóricas, tanto no que tange a prática musical, quanto a produção e capacitação para a inscrição de projetos para fomento e reestruturação das bandas estão entre as ações propostas pelo Núcleo. As atividades são gratuitas, prezando pela troca de experiências e o diálogo com maestros, músicos e lideranças das associações musicais.

De acordo com o maestro Rodrigo Toffolo, regente titular da Orquestra Ouro Preto e idealizador do Núcleo de Apoio a Bandas e Orquestras, a iniciativa pretende preservar uma das mais importantes tradições da cultura nacional. “É difícil mensurar o legado musical deixado pelas associações musicais e bandas civis, especialmente em Minas Gerais. Daí a importância de criarmos estratégias para mantermos essas associações em atividade, ressaltando a necessidade de preservarmos essa rica tradição”, afirma Rodrigo que possui mestrado em musicologia, tendo como objeto as bandas de Minas Gerais.

Núcleo Inicia Atividades com Curso Patrocinado pela Vale

Com patrocínio da Vale, o Núcleo inaugura suas atividades com um Curso de Fomento às Bandas de Ouro Preto, Mariana e região. Dividido em quatro etapas, o curso será ministrado por profissionais e instrumentistas de renome internacional.

O primeiro e o segundo módulo do curso foram realizados nos meses de maio de junho, respectivamente, contando com a participação de 17 associações musicais. A gratuidade do curso inclui custos de transporte e alimentação dos participantes.

Se há uma palavra que possa resumir as atividades do curso, seria preservação, como pontua o Sr. José Mauro Bernardo, 59 anos, músico da Banda de São Sebastião, de Passagem de Mariana. Para José Mauro, que há 46 anos integra o corpo de músicos da banda e, atualmente, exerce o cargo de regência, a ação proposta pelo Núcleo e pela Vale é importantíssima, pois configura uma oportunidade de aprendizagem e especialização. “Quando oferecem uma oficina como essa, temos que agarrar com unhas e dentes. Não temos como arcar com os custos de um curso como esse. Nossas condições são limitadas. Sabendo que nós músicos vivemos da leitura de partituras, fazer essa oficina é importante para darmos continuidade às atividades da banda, já que minha função é ensinar os mais jovens para a banda não parar”, comenta.

Elissene Alves Martins, 29 anos, é natural de Goiás. Estudante de licenciatura em música da Universidade Federal de Ouro Preto, há um ano e meio faz parte da Corporação Musical de São Gonçalo do Amarante, sediada no distrito de Amarantina (Ouro Preto). “Quando cheguei na região, resolvi fazer parte da banda de Amarantina, por ela ser mais nova, visto que geralmente as bandas mais novas precisam de mais apoio. O curso está sendo importante por focar nos métodos de ensino coletivo, que geralmente são mais atrativos a jovens instrumentistas, que são as pessoas que, futuramente, darão prosseguimento às atividades da Banda de São Gonçalo”, reflete.

Para Dario Sotelo, presidente da Associação Mundial de Bandas e responsável pelo primeiro módulo do curso, o Núcleo de Apoio às Bandas e o curso proposto pelo núcleo, em parceria com a Vale, é uma iniciativa que representa muito e tem um papel importante na preservação dessa importante tradição musical. “O cargo que ocupo na Associação Mundial de Bandas deve-se ao olhar e respeito que os estrangeiros têm pelas bandas civis brasileiras. Importante ressaltar que nossas bandas são um valioso patrimônio cultural imaterial do país. Para mim, vir até o Brasil e ministrar um curso para membros de bandas centenárias é uma grande honra e também um grande aprendizado”, afirma.

Módulo III

Módulo dedicado exclusivamente a regentes das associações musicais de Ouro Preto, Mariana e região. As oficinas serão ministradas nos dias 05 e 06 de agosto, em Ouro Preto, pelos instrumentistas João Paulo Moreira, da Orquestra Experimental de Repertório de São Paulo e pelo regente e Prof. De regência e instrumentalização da UNIPAMPA, Dr. Alexandre Takahama. O curso acontece na sede do Grêmio Literário Tristão de Ataíde no dia 05, das 10h às 13h e das 14h às 17h; e no dia 06, das 10h às 13h.

Já o quarto módulo será realizado em setembro, quando as 17 corporações musicais realizam duas grandes apresentações em Ouro Preto e Mariana, num grande encontro para celebrar a música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *