Moro agride e ameaça liberdade de expressão

21 de março de 2017 - 21:33 | por Redação
Moro agride e ameaça liberdade de expressão
Brasil
0

 

O blogueiro Eduardo Guimarães, responsável pelo Blog da Cidadania, foi conduzido coercitivamente hoje (21) para depor na Superintendência da Polícia Federal (PF) em São Paulo. Segundo a PF, ele foi levado para prestar declarações como parte de um inquérito aberto na Justiça Federal no Paraná, a pedido de  Sérgio Moro.

Guimarães afirmou que  foi questionado sobre o vazamento de informações da operação em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi levado para depor, coercitivamente por Moro, no aeroporto de  Congonhas, em 4 de março de 2016.

Dias antes, em 28 de fevereiro, o blogueiro havia antecipado a ação, informando que o sigilo bancário de Lula e de familiares dele havia sido quebrado e que o ex-presidente sofreria busca e apreensão nos imóveis de sua família.

De acordo com a Justiça Federal no Paraná, o inquérito busca identificar os agentes públicos que teriam ajudado a divulgar as informações sobre a operação contra o ex-presidente Lula antes que ela ocorresse.

Ainda de acordo com Moro,  o blogueiro não pode ser considerado jornalista e, por isso, não está protegido pelo dispositivo constitucional do sigilo da fonte. “As diligências foram autorizadas com base em requerimento da autoridade policial e do MPF [Ministério Público Federal] de que Carlos Eduardo Cairo Guimarães não é jornalista, independentemente da questão do diploma, e que seu blog destina-se apenas a permitir o exercício de sua própria liberdade de expressão e a veicular propaganda político-partidária”, argumentou.

Por meio das redes sociais, Guimarães protestou contra a ação de hoje. “É lamentável viver em um país em que a liberdade de imprensa está sendo pisoteada. E em que pessoas comprometidas com a informação e com a democracia sejam submetidas a todo tipo de constrangimento, por via da lei”, disse em sua página no Facebook. O blogueiro diz ainda que foram apreendidos pelos policiais dois celulares, o seu e de sua mulher, um computador e um pendrive.

“Sem Comentários”

Desta forma reagiu o juiz Sérgio Moro ao ser questionado  por uma jornalista da Folha a explicar por que quebrou o sigilo da fonte do jornalista Eduardo Guimarães  e lembrado sobre  a violação de uma garantia constitucional.

E se limitou a repetir um bordão da ditadura militar: “sem comentários”. Moro alega que Eduardo Guimarães não é jornalista. Moro foi lembrado por jornalistas de outros veículos , que Roberto Marinho, Silvio Santos e Otávio Frias, da Globo, do SBT e da Folha, também não tinham diploma, mas foram  comunicadores

Entidades de jornalistas e da Justiça criticaram fortemente a ação de Moro e questionam o custo da precedência aberta contra jornalistas pelo juiz e até onde as garantias estão garantidas.

Foto Tomaz Silva ABr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *