Maia diz que Câmara não aceitará mudanças na reforma trabalhista, senadores não gostam

12 de julho de 2017 - 13:44 | por Redação
Maia diz que Câmara não aceitará mudanças na reforma trabalhista, senadores não gostam
Brasil
0

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse hoje (12) que os deputados não aceitarão mudanças na reforma trabalhista aprovada ontem (11) pelo Senado. Por meio do Twitter, Maia afirmou que caso o presidente Michel Temer envie uma medida provisória sobre o assunto, a proposta “não será reconhecida” pela Câmara.

“A Câmara não aceitará nenhuma mudança na lei. Qualquer MP não será reconhecida pela Casa”, escreveu Maia, às 0h08 desta quarta-feira. A mensagem foi publicada na rede social, mencionando uma reportagem sobre o assunto, cerca de duas horas após a votação.

Maia disse ainda que  “Não participamos de nenhum acordo. Queremos reformar o Brasil. Chega de mentiras”

No final de junho, em carta enviada aos senadores, o presidente Michel Temer se comprometeu a cumprir um acordo para vetar alguns trechos da matéria e enviar uma medida provisória regulamentando as lacunas deixadas pelos eventuais vetos. Caso uma MP seja editada por Temer, ela passa a vigorar com força de lei, mas precisa ser aprovada pelo Senado e pela Câmara.

Maia disse ainda que não pretende pautar a MP prometida pelo governo aos senadores para garantir que o texto passasse na Casa sem modificações. “Não participamos de nenhum acordo. Queremos reformar o Brasil. Chega de mentiras”, disse.

 Temer sem moral: Senadores dizem que  Maia desmoraliza Senado e governo ao falar sobre MP

Os senadores reagiram nesta quarta-feira (12) às declarações do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de que ele vai “barrar” uma Medida Provisória que será editada pelo governo para modificar a reforma trabalhista.

“Temos que discutir isso na CCJ porque aqui foi o palco do tal do acordo”, disse Jorge Viana (PT-AC). Para ele, Maia “desmoralizou” o Senado e o governo ao fazer as declarações. “E ele não é qualquer pessoa, é o vice-presidente. Ele desmoralizou a si mesmo”, disse. Viana afirmou ainda que Maia “deu uma de Trump”, em referência ao presidente dos Estados Unidos, que costuma dar declarações por meio de suas redes sociais.

O senador Jader Barbalho (PMDB-PA) disse que vai conversar com o presidente Michel Temer. “Ontem eu liguei para o presidente para dizer que eu ia votar com a oposição”, disse, ao negociar na terça uma saída com a oposição durante a aprovação da reforma trabalhista depois de a oposição ter impedido por sete horas que o projeto fosse votado. “Esse acordo vai valer sim”, disse, prometendo fazer nova ligação a Temer

Magno Malta (PR-ES), que votou pela reforma diante da promessa que o governo editaria uma MP, criticou a postura de Maia. “O compromisso de editar é do presidente. Não é do Rodrigo Maia, ou então ele já está querendo falar como presidente?”, disse.

O vice-presidente do Senado, Cássio Cunha Lima (PMDB-PB), tentou minimizar as críticas. “Nas entrelinhas ele quer participar do entendimento”, disse, afirmando que defenderá que Maia seja convidado a participar da elaboração da MP. “Seria a completa desmoralização do sistema político”, disse, caso a MP não saísse.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *