Governo realiza pesquisa pioneira no setor de medicamentos fitoterápicos do país

6 de julho de 2017 - 11:25 | por WWFA
Governo realiza pesquisa pioneira no setor de medicamentos fitoterápicos do país
Minas
0

Importantes propriedades terapêuticas da fava d’anta, espécie recorrente da flora em regiões áridas do Norte do estado, levaram o Governo de Minas Gerais a investir em uma pesquisa pioneira, realizada por meio da meio da Utramig e da Associação de Múltipla Ação Social – Multiação, como o objetivo de desenvolver um amplo estudo sobre as capacidades medicinais, ecológicas, econômicas e sociais do cultivo, chegando até a entrega ao cliente final: as indústrias farmacêuticas.

Espécie de planta do Cerrado, a Dimorphandra Sp., também conhecida como fava d’anta, faveira ou favela, é o fitomedicamento com as substâncias naturais rutina, quercetina, ramnose, galactomananos e flavonoides, pioneiro das exportações do setor de medicamentos com ativos naturais pelo Brasil.

Entre as 77 plantas medicinais do Cerrado catalogadas pela equipe responsável pelos estudos, a fava d’anta, é a que mais se destaca, de acordo com o professor e pesquisador da Fundação de Educação para o Trabalho de Minas Gerais (Utramig), à frente da pesquisa, Fernando Madeira.

Suas árvores têm de três a oito metros de altura com copa densa e casca que se fragmenta em pedaços pequenos e irregulares. O período entre o nascimento e crescimento da muda até o ponto de colheita leva em média três anos.

O cultivo da fava possibilita a criação de microclimas, a sustentabilidade ecológica dos locais de cultivo e um alto rendimento econômico pelas suas substâncias. Elas possuem potenciais terapêuticos e curativos no tratamento de doenças circulatórias, oftalmológicas, dentárias, cirurgia, dermatologia e nutrição, entre outros. São utilizadas para a produção de remédios, cosméticos e alimentos.

 

A pesquisa, iniciada em 1999 e colocada em prática em 2004, teve a motivação inicial da observação da extração dem áreas do Cerrado, onde várias famílias vinham coletando o fruto para envio às indústrias farmacêuticas sem o conhecimento de suas funcionalidades fitomedicamentosas e a aplicação do cliente final.

A iniciativa engloba a parceria em rede com diversas instituições do Estado além da Utramig, como a Associação de Múltipla Ação Social/Multiação, através da organização e articulação social, o Instituto de Geoinformação e Tecnologia/IGTEC, com a assistência tecnológica, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), na área de estudos e na formação de pessoal, o Instituto Estadual de Florestas (IEF), na área de manejo e coleta de sementes e frutos, e a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), na dispersão do conhecimento e a difusão da tecnologia, além das prefeituras municipais.

 

Com a ampliação das pesquisas e resultados, o planejamento do Governo de Minas Gerais é criar um Centro de Referência de Plantas do Cerrado para que seja implantado um espaço de encontro e discussão entre todos os agentes da cadeia produtiva da fava d’anta e outros frutos do Cerrado: desde o agroextrativista até os empresários dos setores alimentício, cosmético, novos materiais e farmacêutico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *