FAOP apresenta a exposição “Escutar Através” que explora a produção sonora

8 de novembro de 2017 - 11:45 | por Redação
FAOP apresenta a exposição “Escutar Através” que explora a produção sonora
Cultura
0

A Fundação de Arte de Ouro Preto | FAOP juntamente com a CEMIG, por meio da Lei Estadual de Incentivo a Cultura, apresentam a exposição Escutar Através, do artista sonoro e músico Frederico Pessoa. A abertura acontece no dia 10 de novembro e fica aberta até o dia 3 de dezembro na Galeria de Arte Nello Nuno.

 Escutar Através é composta por quatro séries cuja proposta se baseia no deslocamento de objetos cotidianos de suas habituais funções, descontextualizando-os. As obras lidam com o deslocamento e o rearranjo da experiência comum por meio do sonoro/visual, da bricolagem e da ressignificação. Assim, o publico se depara com uma nova articulação que precisa ser apreendida com atenção, podendo até mesmo ser manipulada.

A possibilidade de interação com as obras muda os lugares pré-estabelecidos tradicionalmente. O autor deixa de ser o proprietário único das obras e o público, agora sem a passividade contemplativa, se torna co-autor, pois é convidado a performar junto à obra, trazendo a si mesmo para uma experiência de improvisação e de reinvenção que não só redefinem nossa relação com os objetos, mas também nos aproxima.

Séries que formam o conjunto da exposição Escutar Através:

A série Caixas-Pretas solicita uma escuta atenta das vozes apagadas,

emudecidas pela opressão do encarceramento, justificado ou não. O cotidiano, as angústias, desejos e formas de ver o mundo de presidiários aparecem em artefatos sonoros que permitem o compartilhamento de suas vozes, mas mantém seu confinamento simbólico.

Tropa de Choque ironiza a opressão, fazendo da tropa um pequeno grupo

sonoro presos à aventais que desvia a atenção e surpreende, sem violência, a indolência do cotidiano.Vista e seja visto, ou melhor, ouvido.

Em Família nos coloca leva à ressignificação do prosaico: utensílios que

povoam nossos lares e nossos rituais cotidianos se transformam em objetos sonoros. Os vasos de cerâmica, a porcelana branca, os copos e taças de vidro e as bacias esmaltadas, tão presentes em nossa infância mineira, encontram um novo lugar na ludicidade da performance – a interação com a obras fazem ressoar seus objetos transformando-as em um grande instrumento musical complexo.

As obras da série Paisagem Imaginária desenham uma paisagem sonora

inusitada pelo manuseio de objetos formados por fragmentos encontrados e materiais comuns. Cada um manifesta, em seu recorte e composição peculiar, uma sonoridade própria, próxima do universo dos ruídos e, por isso mesmo, da música.

Sobre o artista

Frederico Pessoa é artista sonoro e doutorando em Artes/Poéticas Tecnológicas pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais | UFMG. Em seus trabalhos, realiza criação de trilhas sonoras, captação de som e mixagem de áudio para dança e vídeo.  Performances, exposições e apresentações multimídia fazem parte do itinerário criativo do artista. Também atuou como professor em Cinema e Animação e Artes Digitais para a Escola de Belas Artes da UFMG e professor do Curso de Pós-Graduação em Jornalismo Cinematográfico do Centro Universitário UNA.

Galeria

Frederico Pessoa abre sua primeira exposição em Ouro Preto no dia 10 de novembro, na Galeria de Arte Nello Nuno, da Fundação de Arte de Ouro Preto | FAOP. Localizada na Rua Getúlio Vargas, 185, Rosário em Ouro Preto/MG A visitação fica aberta de 11 de Novembro a 3 de dezembro, de segunda a sexta de 9h às 18h, finais de semana e feriados de 13h as 18h.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *