É possível derrotar a corrupção?

9 de setembro de 2017 - 03:07 | por Redação
É possível derrotar a corrupção?
Brasil
0

A corrupção parece uma doença sem fim e cada vez mais avassaladora aqui em nosso país. Não se fala de outra coisa nos tempos recentes. Os noticiários revelam casos de corrupção a cada dia, cada um maior do que o outro. Claro que tudo isso é motivo de tristeza. Mais ainda, é revoltante, principalmente porque se percebe o envolvimento de grandes autoridades, homens de negócios e o desvio de valores muito significativos. O fato é que a nação vai sendo minada e perdendo, firme e continuadamente, em muitos sentidos, de fatores econômicos às questões que envolvem princípios morais!

E o que é corrupção? Conceitualmente falando, segundo o site http://www.significados.com.br, “corrupção é o efeito ou ato de corromper alguém ou algo, com a finalidade de obter vantagens em relação aos outros por meios considerados ilegais ou ilícitos”.

Acontece que as situações destacadas nas manchetes diárias compõem apenas o lado visível do problema. A prática de atos de corrupção tem outras facetas que precisam ser adequadamente compreendidas. Esta, portanto, é a motivação principal para que tratemos desse tema no dia de hoje, como oportunidade para uma reflexão que, não tenho dúvida, todos necessitamos fazer. Em síntese, cada um de nós precisa estar atento e ter plena consciência a respeito de comportamentos que podem servir de estímulo e gatilho para a corrupção.

Assim, com o propósito de permitir mais clara percepção e compreensão sobre isso, trago a excelente explanação do Psicólogo e Psicanalista Luiz Hanns, em recente vídeo publicado pela Casa do Saber, disponível no YouTube.

Como você verá, a corrupção pode estar em pequenas atitudes, despretensiosas, em casa, na escola, com os amigos, ou num mar de dificuldades criadas institucionalmente que terminam incentivando os conchavos e os desvios. A exposição é bem elucidativa. Entenda os “três níveis de corrupção: sistêmica, endêmica e sindrômica”. A propósito, você já havia pensado sobre isso? São visões que, no meu entender, farão muita diferença!

Bem, veja o vídeo. Vale a pena dar uma paradinha. Este é um tema que precisa ser firmemente enfrentado, não resta dúvida! São apenas 6 min

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *