Como desenvolver o aprendizado e se tornar fluente em inglês

16 de setembro de 2016 - 09:42 | por WWFA
Como desenvolver o aprendizado e se tornar fluente em inglês
Cidades
0

Qualquer profissional, seja em uma empresa ou que tenha uma carreira acadêmica, precisa ter uma segunda língua para se manter no mercado de trabalho, conseguir uma promoção ou enfrentar um novo desafio em sua vida como um mestrado ou doutorado, por exemplo. Hoje em dia, algumas ferramentas podem ajudar e fazer com que o aprendizado de uma segunda língua se torne mais fácil e realmente traga resultados.

Com experiência no ensino de inglês há 36 anos, a Gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da Rede de Franquias Number One, Ana Regina Fonseca Araújo, dá algumas dicas de como uma pessoa pode usar ferramentas tecnológicas e métodos comprovados pela neurociência para desenvolver o aprendizado e conseguir a tão desejável fluência. “Costumo comparar o desenvolvimento da habilidade de se comunicar em outras línguas às habilidades esportivas: quanto maior a frequência e exposição à prática, melhor o desempenho”, afirma.

Estudos da neurociência dizem que só aprendemos algo quando necessitamos, se nos for útil e se nos trouxer novidade. Sendo assim, Ana Regina explica que alguns pontos são fundamentais para o aprendizado de uma nova língua. “É importante ter certeza de que se quer aprender e saber para quê se quer aprender”, afirma a professora. Definido o seu objetivo pessoal o aluno consegue se dedicar 100% ao aprendizado.

Outro ponto importante é ter determinação para cumprir com um programa seja em sala de aula ou em casa. “O profissional ou estudante precisa ter disciplina e cumprir com o cronograma, seja uma agenda online ou um quadro afixado na parede do quarto ou ambiente de estudos. Ao definir o horário e os dias da semana que vai estudar a língua, e realmente executar esse cronograma, o estudante terá mais chances de alcançar bons resultados”.

A professora também afirma que buscar uma metodologia com que se identifique é um ponto fundamental. “Por exemplo,  indicar o uso de aplicativos para uma pessoa, mas talvez essa pessoa não tenha habilidade com novas tecnologias – o ideal é realmente buscar o método que melhor se encaixa ao seu perfil”. Para finalizar, a gerente afirma que ter contato com o novo idioma além da sala de aula diariamente faz toda diferença. “Se possível, mesmo que por 10 minutos, seja ouvindo música, filmes, entrevistas, qualquer contato, são pequenas ações que ao final trarão grande benefício à performance final”, declara.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *