Catas Altas não registra nenhum caso de febre amarela

2 de Fevereiro de 2018 - 11:46 | por Redação
Catas Altas não registra nenhum caso de febre amarela
Catas Altas
0

A notícia é boa: Catas Altas não registrou nenhum caso de febre amarela, apesar do surto da doença em 162 municípios do estado. Cidades da região, como Santa Bárbara, Barão de Cocais e Alvinópolis, já confirmaram suspeitas e mortes pela doença.

De acordo com a secretária de Saúde, Maria Tereza Hosken, o município conseguiu imunizar aproximadamente 95% da população em idade e condições adequadas, o que tem contribuído para manter a cidade protegida.

“No ano de 2017, realizamos uma grande mobilização a fim de facilitar o acesso da população a vacinação, ativamos a sala de vacinas do Morro da Água Quente, realizamos vacinação extramuro, monitoramos rotineiramente os cartões espelho e o registro no Sistema de Informação do Programa de Imunizações (SIPNI)”, destaca Maria Tereza.

Segundo a coordenadora de Vigilância em Saúde de Catas Altas Raquel Castro, o município não registrou casos em humanos e nem em macacos, mas é preciso intensificar as ações preventivas e ficar em alerta. “Foram registrados casos em todas as cidades limítrofes de Catas Altas, por isto a importância de termos 100% da população vacinada”, explica Raquel.

Visitar Caraça requer comprovante de vacinação

Além disso, a Prefeitura tem feito diversas ações para evitar que a doença se espalhe. Uma delas foi se reunir com os representantes do Parque Natural do Caraça para alinhar medidas de prevenção. Na reunião, que aconteceu no último dia 27 de janeiro, ficaram acertadas a imunização dos funcionários do Santuário que ainda não haviam recebido a dose, a exigência da apresentação do cartão de vacina para entrada no Parque, a realização de palestra de conscientização e a mobilização dos funcionários. O gerente geral do Santuário, Ricardo Augusto, informou ainda que seriam colocados pontos de repelente no parque: um na portaria, um no centro de visitantes e um na recepção.

A secretária de Saúde, Maria Tereza, completou que outras medidas têm sido feitas com intuito de redobrar a proteção do município. Entre elas, realização do monitoramento rápido de cobertura vacinal para Febre Amarela pelos enfermeiros, através de visita domiciliar e conferencia do cartão de vacina; orientação a população para apresentar o cartão de vacina em atendimentos realizados na Secretaria de Saúde; capacitação da equipe de saúde, através de Web aula – Telessaude – Hospital da Clinicas, sobre a prevenção, diagnóstico precoce e tratamento da febre amarela; vacinação das pessoas com mais de 60 anos, anteriormente não vacinadas, conforme avaliação da equipe de saúde; ampliação do horário de funcionamento da sala de vacina incluindo o horário do almoço e, às quartas-feiras, até as 19 horas (Centro de Saúde); e visitas às pousadas de Catas Altas para orientações aos visitantes.

De acordo com dados da Vigilância e Proteção à Saúde de Minas Gerais, foram confirmados 81 casos no estado, dos quais 36 com mortes. Na região, uma morte foi confirmada em Santa Bárbara; uma, em Alvinópolis; e uma, em Barão de Cocais.

O Governo de Minas Gerais decretou situação de emergência em cinco áreas do estado, somando 162 municípios.

Febre amarela – A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos infectados.

Em área rural ou de floresta, os macacos são os principais hospedeiros e a transmissão ocorre pela picada dos mosquitos transmissores infectados Haemagogus Sabethes.

Nas cidades, a doença pode ser transmitida principalmente por mosquitos da espécie Aedes aegypti. Não há transmissão direta de pessoa a pessoa. Porém, desde 1942 não há registro de febre amarela urbana.

Os sintomas iniciais da febre amarela incluem o início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *