Carta anuência ambiental da Samarco: Prefeito concorda que diálogo é a solução

4 de abril de 2017 - 23:08 | por Redação
Carta anuência ambiental da Samarco: Prefeito concorda que diálogo é a solução
Ambiente
0

A reunião realizada hoje (4) entre o prefeito de Santa Bárbara, Léris Braga e  vereadores de Mariana trouxe alento aos edis e melhores perspectivas para a ampliação do diálogo e busca de soluções para o retorno das atividades da Samarco no complexo de Germano.

Iniciada com apelos e lamentações sobre a situação sócio econômica de Mariana, onde existem 14 mil desempregados, a reunião poderia ser apenas momento de desabafos ou acusações, mas surpreendeu pelas revelações e propostas para  encaminhar soluções.

 

Em sua primeira intervenção, Léris Lara destacou que  busca o cumprimento  da legalidade, reconhece a importância da mineração e que apesar de fornecer a água para o empreendimento, o município não recebe CFEM, outros impostos ou compensações pela atividade  de Germano.

Segundo o prefeito, o que se discute é a carta de conformidade ambiental de acordo com as leis do município e que também são apreciadas  no `Plano Diretor e na Lei Orgânica. Ele destacou que não pede compensações econômicas e sim mitigação ambiental para a zona de recuperação ambiental de Peti  e que tanto o Ministério Público e o Judiciário deram manifestações favoráveis ao município.

Ele sugeriu que fosse estudada a formação de um fundo a partir dos repasses da CFEM (Contribuição Financeira sobre Extração Mineral) destinados a Mariana e Ouro Preto, para financiar as mitigações necessárias.

Depois de ficarem cientes de que uma audiência judicial entre o Município e a Samarco estava prevista para o próximo dia 18, os vereadores sugeriram que antes  da data, pudessem participar de outra reunião com a empresa e a prefeitura de Santa Bárbara, o que ficou definido.

Fernando Sampaio surpreendeu o prefeito ao informar-lhe que além da carta de conformidade ambiental de Santa Bárbara, outras duas estavam pendentes, em vias de resoluçãoes, mesmo efeito causado pelo vereador Bambu ao destacar que há interesses dos sócios de fechar a unidade de Germano e que a não liberação da carta de anuência seria a desculpa perfeita desejada, situação que ocasionaria graves danos ao gestor de Santa Barbara.

“Luto incansavelmente e trabalho todo o tempo para chegar a uma solução e acordo.  Hoje está estabelecida uma relação de confiança e vocês podem me ajudar agora. Tenho problemas e peço o dialogo. Peço isso todo dia, mas estou preso a uma legislação e a um exemplo de improbidade que não posso seguir”, lembrou o prefeito.

Para Léris, Mariana e Ouro Preto  precisam construir soluções a partir do fundo dos royalties do minério de ferro, onde Santa Barbara e outros municípios também façam parte para que haja recurso para fazer as mitigações necessárias.

Segundo o prefeito, não se pode esgotar as propostas e para construir soluções as  partes precisam ser ouvidas. Ele não acredita na dificuldade do diálogo e afirma estar  totalmente aberto.

Ele lembrou que não se incomoda com pressões, que elas não mudam sua opinião, pois não trabalha com versões e sim com fatos e verdades no princípio da busca da solução.

Participaram da reunião, a pedido deles,  os vereadores Fernando Sampaio de Castro, Deyvson de Nazareth Ribeiro, Juliano Vasconcelos Gonçalves, Geraldo Sales de Souza, Gerson Teixeira da Cunha, João Bosco Cerceau Ibrahim e José Jarbas Ramos Filho.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *