Anglogold leva Filarmônica de Minas Gerais a Santa Bárbara

25 de agosto de 2017 - 17:20 | por Sergio Sanches
Anglogold leva Filarmônica de Minas Gerais a Santa Bárbara
Arte
0

Em parceria com a Orquestra, empresa promove apresentação gratuita na cidade com clássicos de Schubert e Tchaikovsky

Pelo segundo ano consecutivo, a AngloGold Ashanti leva música clássica a Santa Bárbara com a apresentação da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. A iniciativa faz parte da parceria do Orquestra com a empresa para promover concertos gratuitos nas cidades onde possui operações. O evento será realizado no dia 2 de setembro, às 20h30, na Praça da Matriz. Neste ano, aFilarmônica contará com sua formação completa, com a interpretação de um repertório ainda mais extenso em estilos e períodos musicais, com obras de Elgar, Berlioz, Schubert, J. Strauss Jr., Carlos Gomes, Tchaikovsky, entre outros.

Na última edição, mais de 1.500 pessoas lotaram o Centro Histórico para ouvir música clássica. O retorno reforça o interesse local em iniciativas que promovam a cultura.  Em 2017, a turnê da Filarmônica já passou por Nova Lima, no dia 3 de junho, Sabará, no dia 29 de julho, e Caeté, no dia 26 de agosto. As apresentações foram apreciadas por públicos que giraram em torno de 3 mil pessoas, cada.

“Um dos objetivos da AngloGold Ashanti, na sua atuação junto às comunidades, é promover e valorizar a cultura nas cidades onde a empresa opera. As apresentações da Filarmônica são uma rica oportunidade de assistir a uma apresentação de qualidade internacional”, ressalta Camilo Farace, vice-presidente da AngloGold Ashanti Brasil.

Os concertos são apresentados pelo Ministério da Cultura, Governo de Minas Gerais e AngloGold Ashanti, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, e contam com o apoio das prefeituras locais. Para o regente associado da Filarmônica de Minas Gerais, Marcos Arakaki, os concertos ao ar livre são uma forma do público se aproximar da Orquestra, assim como dos músicos estarem mais próximos do seu público. “É sempre um momento carregado de emoção e alegria, há uma troca de experiências que nos energiza e faz com que as pessoas se sintam abraçadas e reconfortadas pela música clássica”, relata Arakaki.

Sobre a apresentação em Santa Bárbara

No repertório, marcado pela diversidade, estão obras como Pompa e Circunstância: Marcha nº 1, de Elgar; A danação de Fausto: Marcha Húngara, de Berlioz; Rosamunde: Abertura, de Schubert; Tik-Tak Polka, de J. Strauss Jr.; Condor: Abertura, de Carlos Gomes; Eugene Onegin: Valsa, de Tchaikovsky; Rapsódia Húngara nº 2, de Liszt; e Carmem: Prelúdio, de Bizet. A regência é do maestro Marcos Arakaki.

 

Programa:

ELGAR – Pompa e Circunstância, op. 39: Marcha Militar nº 1 em Ré maior

BERLIOZ – A danação de Fausto: Marcha Húngara

SCHUBERT – Rosamunde: Abertura

  1. STRAUSS JR. –Tik-TakPolka, op. 365
  2. GOMES –Condor: Abertura

TCHAIKOVSKY – Eugene Onegin: Valsa

LISZT/Müller-Berghaus – Rapsódia Húngara nº 2 em dó menor

BIZET – Carmem: Prelúdio

Marcos Arakaki, regente

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *