Acidente na Gerdau mata 2 trabalhadores e deixa 10 feridos

16 de agosto de 2017 - 01:37 | por Redação
Acidente na Gerdau mata 2 trabalhadores e deixa 10 feridos
Ouro Branco
0

A explosão na usina da Gerdau, em Ouro Branco, deixou dois mortos e dez feridos. O acidente ocorreu na manhã desta terça-feira, 15 de agosto. Peritos da Polícia Civil levantam as causas do ocorrido.

A explosão aconteceu na coqueria 2 da usina, um forno em que é produzido o coque (carvão), matéria-prima essencial na produção do aço nos altos-fornos. “Ao que sabemos, ocorreu uma ignição na parte inferior, onde os operários realizavam a manutenção. Nesta mesma coqueria houve uma explosão na chaminé em 2015, que por sorte não matou e nem feriu trabalhadores”, explicou o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Ouro Branco e Base (Sindob), Carlos José Ribeiro Cavalcante.

Queimaduras pelo corpo e lesões nas vias respiratórias causadas pela inalação de fumaça tóxica são os ferimentos das 10 vítimas da explosão.  Entre os 10 feridos, quatro estão em estado grave e, por isso, foram encaminhados para hospitais de Belo Horizonte. Dois deles para o João XXIII, um para o Felício Rocho e outro para uma unidade de saúde da Unimed. Os demais permanecem no Hospital Fundação Ouro Branco.

Um dos mortos foi identificado como Cristiano Rodrigues Marcelino, de 35 anos, funcionário da Convaço, uma empresa que presta manutenção para a Gerdau. Ele morava em Ipatinga, na região do Vale do Aço, e era casado. O outro morto é funcionário da Gerdau, mas ainda não teve a identidade divulgada.

Um representante do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Construção Civil, Edificações, Mobiliário e Montagens Industriais do Alto Paranaiba (Sindconstrumonti) – que representa os trabalhadores de montagem -, Geraldo Magela, diz que já tinha feito vários comunicados à Gerdau sobre a falta de manutenção das instalações e a precarização das relações de trabalho.

“Tem muita terceirização, são poucos os funcionários da Gerdau mesmo. Direto acontece acidente menor lá dentro, mas ninguém fica sabendo”, afirmou Magela.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *